Home / DESTAQUE / Projeto de Lei que destina precatórios do FUNDEF aos professores de SJB tem adesão da Câmara de Vereadores

Projeto de Lei que destina precatórios do FUNDEF aos professores de SJB tem adesão da Câmara de Vereadores

O projeto de lei que destina 60% dos precatórios do FUNDEF aos professores do município de São José dos Basílios foi protocolado na Câmara dos Vereadores na quarta-feira dia 11 de setembro. O requerimento e o projeto foram assinados pelos vereadores Francisco Alencar do Nascimento “Chicô do Moisés” – presidente da câmara -, Gildon Lázaro Orlando da Silva e Francisco Feitosa de Sousa.

Na sessão desta sexta (13), o projeto foi apresentado no plenário da casa onde recebeu apoio dos 8 vereadores que estavam presentes sendo eles: Chicô do Moisés, Antonia do Wilson Borges, Cleones, Lauriano, Miúdo, Telêmaco, Totô e Lázaro. Quanto a vereadora Irmã Moça ainda não se sabe de seu posicionamento, pois por motivo de doença de familiar não compareceu à sessão. Segundo o presidente o projeto será votado na próxima sessão que será dia 20/09, pois antes terá que tramitar nas comissões.

Foi cedido espaço para Ivaldo Lopes Passos, representando o SINTESPEM falar na tribuna. Ele falou do trabalho da FETRACSE no Estado do Maranhão na luta pelos precatórios do FUNDEF e o trabalho que está sendo realizado nas câmaras de vereadores com a apresentação e discussão do projeto de lei que autoriza o executivo municipal a pagar 60% dos recursos dos precatórios aos professores. Em seu discurso Ivaldo destacou os dispositivos legais que garantem o direito dos professores e que o referido projeto foi elaborado pela assessoria jurídica das entidades SINTESPEM/FETRACSE. Em relação às recomendações da Rede de Controle disse: “Discordamos com veemência das recomendações do TCE, TCU e MPE que retira o direito dos professores. Estes órgãos não são legisladores”.

A sessão foi marcada por protestos dos professores da Escola Castelo Branco do Povoado Santa Luzia que reivindicaram da câmara que acompanhe e fiscalize o uso dos 40% do recurso do FUNDEF, reivindicaram também melhoria nas condições de trabalho e denunciaram a falta de iluminação, de ventiladores, falta de carteiras adequadas nas salas de aula e a correção salarial. Durante a sessão algumas professoras levantaram na galeria e fizeram os protestos relatando as péssimas condições que se encontram a escola em questão e a dificuldade de ensinar em condições tão adversas. A câmara também apoiou a manifestação das professoras.

 

Sobre Gelilson Gonçalves

Veja Também

Servidores públicos da folha 40% FUNDEB cobram da gestão de Presidente Dutra os salários atrasados

A prefeitura de Presidente Dutra pagou os servidores da folha FUNDEB 60% no dia 03 ...